UM DIA NA VIDA DE UM RPGISTA!

abril 26, 2009

Sono pesado. Pesadelos. Noite péssima.

Acordou e foi se lavar. No espelho a mesma cara inchada de sempre com a barba por fazer. A pasta de dentes acabou… droga! Esqueceu de comprar uma nova.

Banho. A água escorre e com ela todos os fluidos corporais dos maliciosos pensamentos sobre a protagonista do último filme que viu.

A mesma roupa de sempre. O mesmo trajeto para o trabalho. Trem lotado; de um lado um cara que esqueceu de tomar banho; do  outro lado, um cara que tomou banho, mas de perfume barato. A frente, uma moça avantajada olhando de forma obscena para o pacote de biscoitos.

O trabalho, fonte constante de dor de cabeça. Confere a produção, senta-se no escritório, come, fica em frente ao computador, confere a produção, reunião, computador, computador, computador…

Hora da saída, cansaço mental,  vontade de não fazer nada. Na carona para casa, som de metal tilintando, estranhos uivos por perto. Enlouquecendo? Talvez. Balança a cabeça, os sons continuam e aumentam.

Abre a porta de casa, uma espadada vem em sua direção – mal se abaixa e uma flecha se finca ao seu lado. Sua casa está infestada de pessoas armaduradas batalhando. Céus! Tenta fugir, mas uma criatura verde escamosa se agarra em suas pernas, mais uma vez uma espada vem em sua direção, mas a espada cai antes de chegar ao seu destino.

Pisca uma, duas vezes com força. O sangue do chão deu lugar a coca cola derramada e os intrépidos guerreiros tem espinhas e aparência frágil… hoje é dia de RPG… e arthimes está enlouquecendo com o mesmo.

 

Anúncios

abril 19, 2009

Meses  a fio sem um único post! No entanto, eu vejo pelas estatísticas que ainda somos visitados.  Caríssimo, raríssimo visitante, parabéns pela resisignação em vir por aqui de vez em quando… Nem mesmo os membros do blog aparecem mais…

Se serve de consolo, os trabalhos estão reabertos e o blog, como uma Fênix renasce! 

 

A GAROTA!


O Ser do Meio…

janeiro 14, 2009

Alguns amigos decidiram se reunir. Num bar, em meio a uma mesa rodeada de petiscos, a gargalhada dos membros era constante. Um desses fofoqueiros de plantão, sem nada especial para fazer, começou a escutar a conversa do grupo de amigos.

Não podemos dizer mais nada além do fato de que o nosso bisbilhoteiro ouvinte ficou perplexo. Palavrões? Imoralidades? Não… Só a completa falta de sentido da conversa para ouvidos leigos. Em um momento falavam da vida uns dos outros (hábito normal- pensaria o ouvinte intrometido), dois minutos depois falavam da situação econômica do país, passando pela globalização, o câmbio, as relações culturais entre as nações e o pior ainda estava por vir: citaram autores quase desconhecidos e galhofaram das divergências entre eles. o mais escandalizante ainda foram as piadas, que foram desde o questionamento à sexualidade de Hitler até: “você sabe por que a manteiga é derivada do leite? Porque o leite é integral”.

Com sorte, muita sorte, não foi falado nada sobre animes, mangás ou video games que ainda nem sairam. Conclusão: esse era um grupo de amigos composto pela espécie social denominado ‘nerd’.
O pobre ouvinte ainda se perguntando sobre o significado de uma palavra que acabara de ouvir “epis o quê? ‘epistemi’, ‘epistemologe…”, chegou perto de uma outra mesa, com outro grupo de amigos que acabou de sentar. A conversa começou com uns caçoando dos outros, meia hora depois, ainda estavam uns caçoando dos outros, uma hora depois, o mesmo…

Citações? Alusões a alguém? Quem? Eles nunca leram um livro e os que tentaram foram muito mal sucedidos; um ou outro tentou ler O Código, mas desistiram quando souberam que ia virar filme. A conversa foi evoluindo para quantas pessoas o garanhão da mesa “pegou”, passando para os músculos melhores definidos do vizinho e terminou com todos combinando de ir ao pagode de algum lugar bem fuleira.
Nosso ilustríssmo ouvinte não pôde deixar de constatar que o último papo o lembrava muito mais o que ele estava acostumado a ouvir e até a falar. Não pôde no entanto, deixar de ficar um pouco reflexivo: “haveria um ser do meio? Alguém que transitasse livremente por estes dois mundos que ele acabara de conhecer melhor? E se existisse, o que seria? Uma criatura amorfa, sem personalidade? Um ‘em cima do muro’ que sem iniciativa por tomar partido por um lado fica nos dois? Ou seria uma pessoa de horizontes abertos, que vê pontos positivos nos dois grupos?”

Perdido em tais questionamentos, nosso ouvinte só foi chamado à realidade quando o grupo “normal” se levantou para sair e apontando para os nerds cochicharam: “babacas, não pegam ninguém! Não devem nem saber *#@*&!!! Só sabem ler… olha o óculos daquele ali!”

Cinco minutos depois os nerds se levantaram e nosso atento ouvinte os escutou comentar algo sobre o grupo que acabara de se retirar: “idiotas! Simplesmente idiotas! Viram a impáfia daqueles? Já dizia J.Carvalho que…”

Moral da história:

Não escute conversa dos outros em bares, é falta de educação e não leva a questionamentos produtivos.

A GAROTA!


Porno RPG

janeiro 11, 2009

Uma orda de goblins assolava uma pequena vila, levando constantemente humanos como prisioneiros. Três aventureiros em busca de ouro e boa reputação, decidiram livrar a vila deste terrível mal. Tudo correu bem, os goblins foram todos mortos e na última sala  se encontrava a única sobrevivente – uma jovem camponesa, presa em uma gaiola, ela havia sido estuprada por dezenas de goblins, viu seu marido morrer na sua frente e depois viu seus dois filhos serem comidos vivos pelos goblins.

Quando nossos aventureiros chegaram à sala e  resgataram a mulher, esta focou seu olhar no guerreiro drow e em seus músculos, tendo em seguida demonstrado um caloroso agradecimento, dando a entender que queria ter relações sexuais com o drow (justo com o drow!!!).  A narrativa do mestre direcionada ao drow se deu mais ou menos da seguinte forma: “E você sente os seios rijos da mulher tocando seu corpo… ela te deseja”.

A mulher, recém estuprada por goblins, e totalmente traumatizada já estava pronta para fazer uma nova família!  (e com o drow)! Como?

Mas não paramos por aí, em uma outra mesa, um certo mago levantou o seguinte questionamento: “posso me masturbar usando mãos mágicas?”  Pior não foi o fato desta bilhante duvida ter aparecido, mas o fato de todos terem parado para imaginar e ponderar se era possível e se seria bom ter uma mão extra na hora ‘do ato’.

Eu poderia dar muitos exemplos mais… uma lista enorme de vezes onde o RPG virou uma espécie de pornoRPG. Não digo que essas ocasiões não sejam engraçadas, aliás, são muito ‘gozadas’ (embora ainda tenha pesadelos com a imagem mental do mago com três mãos).

Na realidade há um lugar onde eu quero chegar: Há uma gama enorme de rpgistas tarados por aí!!! Boa parte deles o são, diga-se. Eu me pergunto – por quê?

Posso dar alguns palpites, mas não sei até que ponto eles respondem essa terrível dúvida.

Palpite número 1:

99,9 % dos jogadores de RPG são homens e homens por excelência são tarados. Em uma passado muito distante, os machos  precisavam espalhar seu sêmem no máximo de fêmeas possíveis para a espécie humana não morrer, o que ficou gravado neles como uma espécie de memória genética, os levando a querer hoje em dia continuar ‘pegar’ desesperadamente tudo o que lembre uma mulher, ou até mesmo o que não lembre (as pobres cabras do interior que o digam, coitadas).

Palpite número 2:

Rpgistas nem sempre são caras atléticos, saradões e bem sucedidos materialmente. Muitos passam dias a fio na frente do computador jogando ou sentados em uma mesa rolando dados, o que não gasta muitas calorias – lamento informar. Algumas mulheres (não é meu orgulho dizer isso) tendem a ter um certo grau de seletividade que não envolve o cara que vai até a última fase do Fable, mas o cara de carro e que vai na academia todo dia e que não sabe o que quer da vida além de curtição. Em suma, se o pobre nerd rpgista não tem com quem ficar, extravasa sua tensão sexual para o mundo da fantasia, onde ele é um guerreiro forte e cheio de peças de ouro, ao invés de um nerd não muito bonito e sem perspectiva (putz, exagerei!) Se bem que, ninguém sabe onde eu moro e ninguém vai poder me linchar, então posso falar o que eu quiser…

A Garota!