O Ser do Meio…

Alguns amigos decidiram se reunir. Num bar, em meio a uma mesa rodeada de petiscos, a gargalhada dos membros era constante. Um desses fofoqueiros de plantão, sem nada especial para fazer, começou a escutar a conversa do grupo de amigos.

Não podemos dizer mais nada além do fato de que o nosso bisbilhoteiro ouvinte ficou perplexo. Palavrões? Imoralidades? Não… Só a completa falta de sentido da conversa para ouvidos leigos. Em um momento falavam da vida uns dos outros (hábito normal- pensaria o ouvinte intrometido), dois minutos depois falavam da situação econômica do país, passando pela globalização, o câmbio, as relações culturais entre as nações e o pior ainda estava por vir: citaram autores quase desconhecidos e galhofaram das divergências entre eles. o mais escandalizante ainda foram as piadas, que foram desde o questionamento à sexualidade de Hitler até: “você sabe por que a manteiga é derivada do leite? Porque o leite é integral”.

Com sorte, muita sorte, não foi falado nada sobre animes, mangás ou video games que ainda nem sairam. Conclusão: esse era um grupo de amigos composto pela espécie social denominado ‘nerd’.
O pobre ouvinte ainda se perguntando sobre o significado de uma palavra que acabara de ouvir “epis o quê? ‘epistemi’, ‘epistemologe…”, chegou perto de uma outra mesa, com outro grupo de amigos que acabou de sentar. A conversa começou com uns caçoando dos outros, meia hora depois, ainda estavam uns caçoando dos outros, uma hora depois, o mesmo…

Citações? Alusões a alguém? Quem? Eles nunca leram um livro e os que tentaram foram muito mal sucedidos; um ou outro tentou ler O Código, mas desistiram quando souberam que ia virar filme. A conversa foi evoluindo para quantas pessoas o garanhão da mesa “pegou”, passando para os músculos melhores definidos do vizinho e terminou com todos combinando de ir ao pagode de algum lugar bem fuleira.
Nosso ilustríssmo ouvinte não pôde deixar de constatar que o último papo o lembrava muito mais o que ele estava acostumado a ouvir e até a falar. Não pôde no entanto, deixar de ficar um pouco reflexivo: “haveria um ser do meio? Alguém que transitasse livremente por estes dois mundos que ele acabara de conhecer melhor? E se existisse, o que seria? Uma criatura amorfa, sem personalidade? Um ‘em cima do muro’ que sem iniciativa por tomar partido por um lado fica nos dois? Ou seria uma pessoa de horizontes abertos, que vê pontos positivos nos dois grupos?”

Perdido em tais questionamentos, nosso ouvinte só foi chamado à realidade quando o grupo “normal” se levantou para sair e apontando para os nerds cochicharam: “babacas, não pegam ninguém! Não devem nem saber *#@*&!!! Só sabem ler… olha o óculos daquele ali!”

Cinco minutos depois os nerds se levantaram e nosso atento ouvinte os escutou comentar algo sobre o grupo que acabara de se retirar: “idiotas! Simplesmente idiotas! Viram a impáfia daqueles? Já dizia J.Carvalho que…”

Moral da história:

Não escute conversa dos outros em bares, é falta de educação e não leva a questionamentos produtivos.

A GAROTA!

Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: